Ventre Oceânico na COP 22

 

Quando em novembro fui convidada para levar meu trabalho com a linguagem artística das pedras para o mais importante evento paralelo da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de Marrakesh, a COP 22, que aconteceu em Marrakesh, no Marrocos, não fazia ideia que essa experiência ia acrescentar tanto à minha vida. O grande desafio da COP 22 era encontrar formas comuns e estabelecer regras para colocar em prática o Acordo de Paris, firmado por 194 países e que tem como meta zerar as emissões líquidas de carbono até 2050. Queria conhecer as pedras de lá para entendê-las, como sempre faço. Mas num mercado encontrei as amonites, fósseis petrificados de seres que desapareceram junto com os dinossauros, e que existem por todos os cantos do Marrocos. Uma amonite imensa instalada em uma coluna na frente do local do evento tornou-se o foco principal do meu trabalho para a COP 22. Carrega uma esperança de que consigamos ouvir os seres desaparecidos da Terra, aprender com a nossa história e origens comuns!

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *